Varejo online: veja dados da aceleração digital

Varejo online: veja dados da aceleração digital

Entenda como o varejo online favoreceu a mudança de comportamento dos consumidores.

A orientação para seguir o isolamento social fez com que boa parte das empresas adotasse o home office.

Esse movimento também motivou uma mudança de comportamento nos consumidores. Do outro lado do balcão, foi necessário investir em tecnologia para varejo e adaptar os processos a uma demanda de consumo online.

A aceleração digital acabou contribuindo para que tudo acontecesse mais rápido. Esse fenômeno tem sido visto com bons olhos, tanto sob o ponto de vista dos consumidores como pela ótica das empresas, já que favoreceu o desenvolvimento de negócios.

Consumo online durante

O ano de 2020 ficou marcado pela disseminação da Covid-19 em todo o mundo. Enquanto os governos buscam maneiras de controlar a propagação do vírus, as empresas fechavam escritórios e mantinham seus funcionários em casa.

Todas as atividades que podiam ser exercidas em home office passaram à modalidade. Esses profissionais migraram do offline para o online, não apenas no trabalho, mas também em seus hábitos de consumo.

Roupas, supermercado e até serviços como treinamento físico passaram a ser comprados pela internet. Até mesmo aqueles pequenos comércios de bairro passaram a oferecer a possibilidade de venda online — por WhatsApp, por exemplo — e entrega na casa do cliente.

De acordo com o levantamento realizado pela rede Mastercard, durante o comércio eletrônico varejista ganhou um impulso, variando de 60% a 90% se comparado ao ano anterior. Esse avanço disparou principalmente no período entre março de 2020 e fevereiro de 2021.

Os números positivos demonstram que as economias digitais são resistentes às crises e estão preparadas para crescer ainda mais.

Ações de digitalização dos varejistas

Em contexto de “normalidade” é fácil entender o quanto novos hábitos são difíceis de se desenvolverem. Estimular os consumidores a comprar online é um processo que vem sendo trabalhado há muito.

Porém, ao longo de 2020 e agora em 2021, com as mudanças motivadas pela Covid-19, os consumidores se acostumaram rapidamente a comprar mais produtos e até alimentos por vias digitais.

A Mastercard Economics Institute estima que de 20% a 30% das mudanças digitais do varejo iniciadas em 2020 serão permanentes. Ou seja, mesmo com o retorno à normalidade e reabertura de espaços físicos, boa parte dos consumidores devem manter hábitos de compras digitais.

As ações de digitalização dos varejistas contribuíram para que eles dessem um salto gigantesco de desenvolvimento, em muitos casos aumentando o faturamento e a gama de clientes atendidos em razão das possibilidades trazidas pelo digital.

Transformação no mercado e oportunidades

O comércio eletrônico deve ocupar de maneira permanente uma fatia maior do varejo. A questão que precisa ser considerada é que grande parte das lojas físicas agora também oferecem venda online, o que significa que uma ação de digitalização vai ajudar a garantir as vendas.

Supermercado

As compras de supermercado realizadas de forma online eram baixas se comparadas à modalidade presencial. Porém, com os novos hábitos dos consumidores e a comprovação de que a compra online de alimentos funciona, as pessoas continuarão comprando desta maneira.

Ainda segundo a pesquisa do Mastercard Economics Institute, no Reino Unido, em razão dos lockdowns, aproximadamente ⅕ das compras de mercado são realizadas online.

Restaurantes

Durante os primeiros meses de 2020, a movimentação do setor foi expressiva, já que boa parte dos consumidores que tinham o hábito de frequentar restaurantes passaram a fazer os pedidos na modalidade take away.

Segundo aponta a pesquisa já citada: “o comércio eletrônico representava aproximadamente 18% do total de vendas dos restaurantes antes da crise. Com os lockdowns mais rigorosos, os restaurantes que conseguiram mudar rapidamente para o digital se tornaram a única opção de alimentação para os consumidores.”

Mesmo com a retomada das atividades presenciais, os pedidos de refeições online devem se manter em alta.

Lojas de roupas

As lojas de roupas, artigos esportivos e de brinquedos já estavam promovendo transformações em suas formas de trabalhar, investindo em aceleração digital desde 2018.

Os dados apresentados demonstram que a aceleração digital do setor do varejo criou um ambiente de oportunidades no mercado. Os empreendedores que souberam se adaptar e aproveitaram o momento para investir em tecnologia conseguiram lidar de forma mais tranquila com os desafios do momento.

E se você é do setor do varejo e ainda não ajustou os seus processos às oportunidades do mundo digital, não é motivo para se preocupar. É possível aproveitar o momento, se inspirar em cases de sucesso e apostar na transformação digital, oferecendo aos consumidores soluções customizadas e adaptadas a suas necessidades.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.